Opinião: “Diário de uma Tansa” de Blanca Álvarez

Diário de uma Tansa

Blanca Álvarez

Editora: Grupo Planeta

Nº de Páginas: 177

Sinopse: Não é fácil ser criança e ninguém sabe disso melhor do que a Bia e o Mário, dois pré-adolescentes às voltas com os desafios da puberdade. Bia acha que “ter 11 anos, quase 12, é a maior treta que exista à face da Terra e não podes contar com ninguém para te ajudar”. Mário, por sua vez, acha que essa é a altura em que começa a “idade da raiva”.

Nenhum dos dois entende os adultos nem as atitudes do género oposto. Mário é super inseguro com as raparigas, detesta futebol (ao contrário dos seus colegas da escola) e Bia está mais preocupada com as mamas que não param de crescer-lhe do que com os rapazes.

De igual forma, ambos estão confusos quanto ao futuro, quanto ao que querem ser quando crescerem e quanto às esquisitices dos adultos. É sobre isso que desabafam nos respectivos diários, tomam notas, elaboram listas e fazem desenhos.

Opinião: Ler deste tipo de livros (diários de crianças em início de fase adolescente) é sempre de rir e chorar por mais. Este não é excepção.

Neste livro temos Bia, uma menina prestes a fazer os 12 anos, mas que NÃO QUER QUE LHE CRESÇAM AS MAMAS!! Malfadadas hormonas que parecem descontrolar todas as mulheres da sua vida! 

Bia acha a sua vida miserável. Na escola as badalhocas não sabem ocupar o seu lugar, os chimpanzés só fazem porcaria e, quando chega a casa, ainda tem a tia Fina que não há meio de arranjar uma vida própria e que só pensa em arranjar um namorado! Para não falar na irmã que só quer a Hello Kitty e que por isso não tem inteligência nenhuma! Mas ela tem o seu eterno salvador, o seu pai, para lhe tirar daquele mundo cheio de hormonas e adultos que só se sabem meter na vida dela.

Acompanhar este seu ano, é revermo-nos um pouco naquela idade. O despertar, o começar a ter noção dos nossos sentimentos e o desespero de querermos voltar atrás e não termos noção disso, são tudo emoções bastante familiares e que nos aproximam ainda mais de Bia.

As ilustrações estão deveras engraçadas e ajudam a que imaginemos o mundo de Bia e forma como ela o vê. Afinal não é todos os dias que se entra na adolescência e se começa a perder aquela doce inocência que o pai de Bia tanto aprecia na filha. Um livro engraçadíssimo, recheado de humor e que é sempre uma leitura descontraída e agradável.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
1 Comentário
Mais antigo
Mais recente Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vc
Vc
10 anos atrás

Que engraçado x) Por mais infantis que estes livros sejam, dão-nos sempre vontade de os ler!

  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!

    Categorias do Blog

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide