Entrevista a Alexandra Rolo, Autora Portuguesa

Bom dia! Hoje volto com mais uma entrevista. Apresento-vos então a Alexandra Rolo!

Sobre ti:

Sou a Alexandra Rolo e estou agora a aperceber-me de que falar sobre mim é complicado.

Sou uma alfacinha que nasceu no grande ano de 89 e que cresceu em terra saloia, mais propriamente Loures. Tenho licenciatura em História Moderna e Contemporânea (ISCTE-IUL) e estou agora a frequentar o mestrado de História e Cultura das Religiões (FLUL).

Tenho uma vida sossegadinha entre trabalho, faculdade e projectos variados onde não reina o stress e falta de tempo. Tenho uma relação muito próxima com o vale dos lençóis mas infelizmente o dia só tem 24horas.

Adoro cinema e livros e o meu maior sonho é ter uma divisão da casa só com livros um sofá e uma secretária com uma cadeirinha. Nos tempos livres gosto muito de desenhar e obviamente ler, escrever e contar histórias aos meus sobrinhos.

A coisa que mais odeio é “cortar bifes”, analisar um poema através da ideia de que riscar e contar as sílabas métricas.

Sobre a tua escrita:

Quando era mais pequena escrevia contos mas à medida que fui crescendo fui ganhando um carinho especial pela poesia e assim fui escrevendo até aos meus 18 anos. Mais recentemente voltei à prosa e o resultado até foi interessante.

Não tenho uma calendarização do estilo “tenho de escrever x palavras até dia y”. Escrevo quando sinto vontade para o fazer e faço-o ao sabor da maré. Sou extremamente perfeccionista e pode demorar um bom par de meses até obter o resultado que desejo.

Sei que pode parecer estranho mas ainda continuo com a ideia de que escrevo para mim e foi por essa razão que comecei por usar um pseudónimo na internet. Só mais recentemente comecei a assinar e a dar a cara pelo que faço.

A nível de poesia mantenho um registo muito variado podendo ser sobre religião, história,… mas uma coisa que está presente na maioria é o simbolismo. Já na prosa gosto muito do fantástico.

Fala-nos um pouco sobre o teu primeiro livro ‘O Diário de uma Pagã’:

É um pequeno livro de poesia que contem poemas de vários anos da minha vida, principalmente da adolescência. Todos eles são extractos da vida de uma rapariga ficcional que eu imaginava quando escrevia.

Em linhas gerais… Ela era um par de anos mais velha que eu e vestia-se como se fosse uma boneca. A sua família era muito religiosa mas ela andava sempre numa luta interior pois acreditava em coisas mais antigas a que nós hoje chamamos paganismo.

Uma pequena particularidade sobre estas páginas é que todas elas foram escritas no Gerês.

Influências, tens? Quais?

O dia-a-dia influencia-me, as pessoas que me rodeiam e o próprio espaço. Produzo mais quando estou em zonas de campo.

Fora isso devo dizer que o movimento simbolista teve um grande papel na minha escrita pois “bebi” muito deles já que é algo que me interessa bastante, Fernando Pessoa também me mostrou que é possível abstrair-nos do nosso ser o suficiente para sermos outro alguém.

Tento não copiar ninguém e manter-me fiel a mim mesma pois quero que a minha escrita seja facilmente distinguida da de outros escritores.

Tens conseguido feedback dos leitores?

Sim, acho que não ouvi nada de mal acerca deste meu pequeno primeiro livro, o que é bom sinal (acho eu) e algumas pessoas têm me perguntado para quando um próximo trabalho.

Tive de explicar várias vezes que não é uma autobiografia e que nunca tive pensamentos suicidas pois as pessoas viam os meus poemas como autobiográficos, quando neste caso em particular, não são.

Projectos futuros:

O futuro está a trazer-me muitas coisas, comecei o ano de 2011 com a revisão do meu primeiro livro de prosa que será o primeiro de uma série chamada “Luz e Trevas” e tem o título de “Selene”.

Iniciei também uma pequena magazine online (NanoZine) com a minha amiga Leonor Ferrão e mais recentemente ando pela Rádio Zero às segundas-feiras às 17h03m na rubrica da Fendamel.

Fora isso colaboro em dois blogs um onde coloco alguns textos e outro sobre religião.

Agora em mãos, só meu, tenho o segundo volume da série cujo título ainda não divulguei, mas serve para me ir entretendo enquanto ando na minha odisseia em busca de uma editora.

De resto vou escrevendo pontualmente e num futuro próximo, digamos assim Julho, faço intenções de tirar umas boas e merecidas férias e passear um pouco e também escrever e desenhar.

Sinopse:

As palavras aqui escritas são de uma jovem que criada no seio de uma família católica se vê numa encruzilhada ao descobrir que tinha um coração pagão e não católico, como a sua família desejava. Esta é a história da sua vida escrita em poesia.

Site: http://calexandrarolo.wordpress.com

Blog: http://folhaembranco.blogs.sapo.pt

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
1 Comentário
Mais antigo
Mais recente Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ana C. Nunes
Ana C. Nunes
10 anos atrás

Já 'conheço' (virtualmente) a Alexandra Rolo À algum tempo e desejo-lhe todo o sucesso do mundo. Infelizmente, não sendo eu fã de poesia, vou antes aguardar pela saga que aí vem.
Boa sorte!

  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!

    Categorias do Blog

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide