[Música da Morrighan] Música do Dia – Lenço Enxuto de Samuel Úria com Manel Cruz (com Letra)

Empresta-me os teus olhos uma vez 

Que os meus não são de gente, apenas rapaz. 

É só o tempo de me aperceber 

Da visão que se turva para ser de mulher. 

Empresta-me uma chávena de sal 

E mostra-me a receita do caldo lacrimal. 

É só o tempo de te convencer 

Que nem precipitado consigo chover. 

Não é um adágio que nos persegue, 

Que um homem só não chora porque não consegue. 

Empresta-me esse efeminado luto; 

Ser masculino é ter-se o lenço enxuto. 

É só o tempo de me maquilhar 

De pranto transparente (a cor de mulher). 

Não nasci pedra, nasci rapaz 

Que um homem só não chora por não ser capaz. 

Os homens fazem fogo, com dois paus eles fazem fogo. 

Por troca ensino-te a queimar. 

Tu és corrente e eu finjo mar 

Que um homem para que chore, não pode chorar

Que um homem para que chore, não pode chorar

Adoro esta música. A combinação das vozes de Samuel Úria com Manel Cruz ficou soberba. Uma grande música, uma grande letra, duas grandes vozes da música portuguesa.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!

    Categorias do Blog

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide