[Diário de Bordo] O meu último vício musical – “33 ‘GOD’” Bon Iver

Quem é que não se lembra do disco For Emma, Forever Ago? Quem é que não associa Bon Iver a uma versão de nos fazer tremer o coração da música Skinny Love? Provavelmente toda a gente que já tomou contacto com Bon Iver sabe do que falo. A questão aqui é que de repente sai um tema do seu novo disco, que sai ainda este mês, chamada 33 ‘God e que de repente parece arrumar esse antigo Bon Iver a um canto. Não no sentido de que os trabalhos anteriores de repente não sejam bons, longe disso, mas para o meu gosto pessoal, este novo Bon Iver que se nos vai apresentando com novos temas lançados no youtube é de um outro nível completamente novo.

Há uns meses, quando James Blake lançou o single I Need a Forest Fire com o Bon Iver, lembro-me de ter pensado que este seria um género que surpreendentemente cairia que nem uma luva a este último. E depois saem estas músicas novas e eu só penso, por favor continua porque foste feito para isto. Na Pitchfork eles fazem uma declaração sobre a 33 ‘God que eu achei super interessante e completamente certeira:

«By being less intelligible, Vernon seems even more human, more ridden with flaws, and undeniably more interesting. Among the songs that have been released from Bon Iver’s upcoming 22, A Million so far, the surfaces have been cool to the touch, alien, yet phantasmagoric with lush electronic sound. In “33 ‘GOD’,” Vernon has crafted a piece that lives within contradictory states of privacy and open-hearted bombast.»

E é isto, acho que não conseguia dizer melhor. Quando de alguma maneira uma música me toca de forma especial, fico a ouvi-la em loop até não conseguir mais. Ahahah, não sei se acontece o mesmo convosco, nem sequer se partilham da mesma opinião que eu sobre este novo trabalho de Bon Iver, mas sintam-se à vontade para comentar e partilharem as vossas experiências. Beijos!

(When we leave this room, it’s gone)

Is the company stalling?

We had what we wanted: your eyes

(When we leave this room, it’s gone)


With no word from the former

I’d be happy as hell if you stayed for tea

(I know so well that this is all there is)

This is how we grow now, woman

A child ignored


These will just be places to me now

The foreman is down

(When we leave this room, it’s gone)

We’re rising the stairs


I find God and religion too

Staying at the Ace Hotel

If the calm would allow

Then I would just be floating to you now

It would make me pass to let it pass on

I’m climbing the dash, that skin


(Here in this room, this narrow room

Where life began, when we were young

Last night)


Well, we walked up on that bolt in the street

After you tied me in in the driveway

Of the apartment of his bede

Sent your sister home in a cab


Said I woulda walked across any thousand lands

(No, not really if you can’t)

I didn’t need you that night

Not gonna need you anytime

Was gonna take it as it goes


I could go forward in the light

Well, I better fold my clothes


Oh, my goodness

Oh, my goodness to show

(Why are you so far from saving me?)

(Why are you so far from saving me?)

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!

    Categorias do Blog

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide