Jazz em Agosto 2018 volta a apostar no cinema, por João Morales

Nesta edição, o Jazz em Agosto volta a fazer uma aposta considerável no cinema. Logo no dia 29 de Julho, pelas 18h 30m, poderemos ver John Zorn (2016 – 2018), de Mathieu Amalric. Um documentário que não renega a dimensão humana do músico, cuja projecção contará com a presença do realizador. 

Bhima Swarga, de Ikue Mori

Ikue Mori traz-nos dois exemplos da sua ligação ao cinema. No dia 31 de Julho, à mesma hora, Pomegranate Seeds, um filme-concerto de Ikue Mori. Composição em tempo real para acompanhar um espetáculo concebido a partir de um dos contos de Tanglewood Tales, livro em que o escritor norte-americano Nathaniel Hawthorne abordou a Mitologia grega, num registo destinado ao público infantil. No dia 2 de Agosto, às 17h, Bhima Swarga, uma animação que nasceu das pinturas tradicionais do tecto do templo de Kertha Gosa, em Bali.

Between Science and Garbage

Dia 3 de Agosto, igualmente às 17h, John Zorn The Book of Heads – 35 Études for Solo Guitar Performed by James Moore. Realizado por Stephen Taylor, oferece-nos uma amostragem deste trabalho desenvolvido por Zorn entre 1976 e 1978, hoje uma referência na guitarra contemporânea.

Dia 4 de Agosto, às 17h, chega-nos Celestial Subway Lines & Salvating noise, um filme de Ken Jacobs, que resulta de uma colaboração com John Zorn e Ikue Mori. Um documento concebido a partir de uma série de performances multimédia, apresentadas no Anthology Film Archives em 2004.

Dia 5 de Agosto, às 17h, Between Science and Garbage, de Pierre Hébert, assenta numa colaboração com nome maior da electrónica experimental, Bob Ostertag, que acompanha este trabalho de animação.

João Morales

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide

    Categorias do Blog

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!