Alberto Caeiro – O Pastor Amoroso

Quando eu não te tinha
Amava a Natureza como um monge calmo a Cristo…
Agora amo a Natureza
Como um monge calmo à Virgem Maria,
Religiosamente, a meu modo, como dantes,
Mas de outra maneira mais comovida e próxima…
Vejo melhor os rios quando vou contigo
Pelos campos até à beira dos rios;
Sentado a teu lado reparando nas nuvens
Reparo nelas melhor –
Tu não me tiraste a Natureza…
Tu mudaste a Natureza…
Trouxeste-me a Natureza para o pé de mim,
Por tu existires vejo-a melhor, mas a mesma,
Por tu me amares, amo-a do mesmo modo, mas mais,
Por tu me escolheres para te ter e te amar,
Os meus olhos fitaram-na mais demoradamente
Sobre todas as cousas.
Não me arrependo do que fui outrora
Porque ainda o sou.


(continua…)

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
2 Comentários
Mais antigo
Mais recente Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marco Antonio
Marco Antonio
11 anos atrás

Gosto muito de Caeiro, ele sempre me passa uma ligação direta com a natureza com uma simplicidade admirável, mas aqui em casa se lê muito mais Campos e sua metatífica. Sabe-se lá porque. rs
A simplicidade é prazerosa, mas quase sempre esquecida, não é mesmo? Grande abraço e que 2010 seja um ano cheio de inspirações em todos os campos de sua vida.

Morrighan
Morrighan
11 anos atrás

Olá Marco,

A primeira vez que estudei Fernando Pessoa apaixonei-me por Álvaro de Campos. É muito mais dramático e intenso em sentimentos.
Mas com o passar do tempo e com o decorrer de tantas coisas, a simplecidade de Caeiro arrebatou-me.
Não diziam já que Fernando pessoa era seguir das artes antigas? Quem sabe?
Sei que ler Caeiro me transmite muito de uma maneira simples e límpida.

Um grande abraço para si também e um 2010 cheio de luz e de concretizações desejadas.

  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide

    Categorias do Blog

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!