Opinião: “Ser Como Tu” de Miguel Almeida

Ser Como Tu

Miguel Almeida

Editora: Esfera do Caos

Nº de Páginas: 150

Sinopse: Os poemas de Miguel Almeida transportam-nos por anseios e receios, por opções, feitas ou que ficam por fazer, que valem como outras tantas viagens de um Eu, numa busca constante de sentido para si próprio e para o Mundo.

Numa frase célebre, o poeta russo Osip Mandelstam disse que “na poesia é sempre de guerra que se trata”. Num registo diferente, Carl Von Clausewitz diz-nos que “a paz é a continuação da guerra por outros meios”. E esse também se pode dizer que é o ponto de vista assumido em Ser Como Tu. Em guerra incessante consigo próprio, o Eu que está por detrás dos poemas de Miguel Almeida mostra-nos que as piores guerras, as mais constan­tes e perigosas, não são as que travamos com os outros, mas as que travamos connosco próprios e com as nossas circunstâncias. Mas estas também são as guerras que nos trazem as conquistas mais importantes e decisivas.

Opinião: ‘Ser Como Tu’ é a mais recente obra de Miguel Almeida. Uma colectânea de poemas que viaja até aos confins do ser humano, exorcizando demónios e reconhecendo as bençãos do que nos rodeia.

O autor consegue chegar até nós de forma bastante profunda, intima e quase exibicionista. É fácil reconhecermos parte de nós em cada um dos seus poemas ou até, apenas, lembrarmo-nos de alguém.

O subconsciente do ser humano é algo curioso e misterioso. Nunca sabemos ao certo o que lá está, como influencia o nosso comportamento e, na maioria das vezes, nem os alertas ou mensagens que nos tenta transmitir. O que me leva à parte que mais me fascinou ao longo de ‘Ser Como Tu’, à medida que vamos saboreando cada poema, quase que nos sentimos nus, revelados, expostos. Como se, de repente, parte dos nossos segredos se tornassem de conhecimento público.

É sem dúvida uma obra de qualidade, genuína, realista. Já tinha saudades de deambular por poemas deste género.

Nota: Nos próximos tempos colocarei aqui no blog os poemas que mais gostei, com a devida autorização do autor.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
1 Comentário
Mais antigo
Mais recente Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Miguel
Miguel
9 anos atrás

E eu, o que posso dizer, Sofia? Sei lá, talvez agradecer, talvez dizer que só para ouvir/ler palavras tão simpáticas já valeu a pena o trabalho e o sacrifício de ocupar o tempo (algum tempo) a escrever. Bjs para ti e cumprimentos para os muitos seguidores do magnífico Blogue Literário Morrighan.

Miguel

  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!

    Categorias do Blog

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide