Poema ‘Danação II’ de Miguel Almeida (Ser Como Tu)

Danação II

Repentina,

Por vezes, a razão diz não

E porque ter esperanças em vão?

Mas deixa-se levar pela emoção,

Com a sua diferença de ser, a viver

Sem reflexão, num tempo desfasado 

Onde se refugia o sim, esperançoso

Mas que não tem outra razão,

Que não seja aquilo que se deseja,

Sim, eu quero

Sim, será como eu quero

Porque (as) sim, estará bem

Pelo menos para mim,

Que depois acabo a sofrer,

Por não escutar, nem aceitar

Por não conseguir evitar,

Esta terrível danação,

Construída ao lado

E até, por vezes

Em conflito com a minha reflexão.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
2 Comentários
Mais antigo
Mais recente Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Miguel
Miguel
9 anos atrás

Thank´s, Sofia. Pessoalmente, acho que escolheste um excelente poema para servir de "rosto" de "Ser Como Tu". Bjs, Sofia, tudo de bom para ti e para o teu excelente Morrighan.

Miguel
Miguel
9 anos atrás

Thank´s, Sofia. Pessoalmente, acho que escolheste um excelente poema para servir de "rosto" de "Ser Como Tu". Bjs, Sofia, tudo de bom para ti e para o teu excelente Morrighan.

  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!

    Categorias do Blog

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide