[Obrigatório Ler & Opinião Blog Morrighan] “Escolha” de Samuel Pimenta

O primeiro passo para a cura é tomar consciência de que se está doente. Enquanto uns escolhem curar-se, outros optam por perecer sem luta. Aos primeiros, move-os o acreditar férreo, a esperança nos dias bons. Aos que escolhem perecer, move-os o medo do fracasso, o terror de se verem espelhados na desilusão.

A humanidade tomou consciência de que está doente. Percebeu, por fim, de que é enferma à mercê das vontades e caprichos de terceiros. Não é salutar um mundo em que tantos homens e mulheres são instrumentos para que poucos homens e mulheres possam fazer fortuna e império. Não é salutar um mundo em que homens e mulheres vivem engaiolados numa civilização incivilizada e de costas voltadas para a natureza. Não é salutar um mundo em que homens e mulheres vivem em função do medo, em vez do amor por tudo o que dá forma à Terra. A humanidade tomou consciência de que está doente. Mas escolheu curar-se.

A cura da humanidade requer consciência e ética. Sair à rua clamando por justiça, dignidade, honra. A cura da humanidade requer paz, interior e exterior. Sejamos promotores da pacificação global. A cura da humanidade requer espíritos elevados e causas que nos enobrecem enquanto humanos. Unamo-nos em torno de um mundo feliz. Tal como se unem os peixes do cardume face aos predadores do oceano, também se devem unir homens e mulheres em prol de uma nova Terra. Dir-nos-ão que é impossível. Responderemos que o impossível é o querer que o define. Não permitamos que a ilusão nos tolde os sentidos, a humanidade está doente e iludida há tempo demais.

Este é o tempo em que a era sangrenta do lucro definha e morre. O tempo da libertação da humanidade. O primeiro passo para a cura é tomar consciência de que se está doente. Cabe-nos, então, escolher. E que escolha nos é exigida? Escolhemos fingir que não é horrendo este sistema que se alimenta de nós? Ou avançamos heroicamente rumo a uma realidade em que o que realmente importa é a vida?

Para mim, é fácil escolher. Ainda sou feito da fibra dos que acreditam que é possível.


Samuel Pimenta

Escritor

Fonte: Rede Regional

_____

Samuel, é fácil escolher para ti e para mim. Adorei este teu texto. Detesto que as pessoas teimem em não tomar consciência de que estão doentes. Fizeste-me lembrar um post que uma vez criei chamado ‘Escolhas‘ (https://branmorrighan.com/2011/01/reflexao-escolhas.html). Apesar de abordarem coisas diferentes, penso que acabam por, de alguma maneira, se relacionarem.

Cada indivíduo deve tomar a iniciativa de sair das sombras e enfrentar cada dia com personalidade, força de vontade e coragem. As dificuldades servem para nos tornarem mais fortes e não fazerem-nos definhar. O próprio existir, o podermos usufruir de uma vida, tem tanto de bom e tanto por onde nos agarrarmos, que perder a esperança e deixar de acreditar é, para mim, um autêntico crime.

Gostei mesmo muito.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide

    Categorias do Blog

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!