Opinião: ‘O Diletante e a Quimera’ de Pedro Medina Ribeiro

O Diletante e a Quimera

Pedro Medina Ribeiro

Editora: Teorema

Sinopse: Sandro Bellocchio é um pintor genial, que vive na Toscana, no início do séc. XVII. Senhor de grande talento, prefere, mais do que pintar, entregar-se a outros prazeres: amar, beber e jogar. Certa noite, num jogo de cartas ganha um estranho objecto – um pendente de bronze, em forma de pata de cão – que mudará para sempre a sua vida. Arthur MacAlistair, é um conceituado académico de Nova Iorque do século XXI que dedica as energias a tentar compreender a natureza da Arte. Pinga-amor inveterado, deliciosamente snob, opinioso e divertido, atravessa momentos difíceis de dúvidas existenciais e profissionais após o fracasso de uma relação amorosa. Decide aproveitar uma licença sabática para viajar até Itália, num redentor “regresso às origens”, mas o que se pretendia uma viagem tranquila assume proporções dramáticas. Haverá alguma relação entre estes insucessos e o estranho objecto de bronze que encontrou na praia…?

Opinião: Fez três anos, agora em Abril, que me estreei com Pedro Medina Ribeiro em A Noite e o Sobressalto. Confesso que estes anos todos foram uma espera demasiado longa. O autor de O Diletante e a Quimera é sem dúvida um escritor de qualidade e nesta sua última obra veio confirmá-lo! Viajemos então entre uma Itália do século XVII e outra do século XXI com tudo o que tal implica.

Entre as narrativas do século XVII e do século XXI, uma constatação fica por demais evidente: existe um pendente de bronze que está destinado a mudar o rumo da vida de quem o transporta. Seja para o bem ou para o mal, este interfere na sorte de cada um. Comecemos com Sandro Bellocchio, um pintor de um talento notável, mas que já não tem motivação para acabar sequer uma obra. Tudo para ele perdeu significado. A um mesmo nível, mas uns séculos mais tarde, temos Arthur MacAlistair que após uma separação difícil da mulher que amava se vê um pouco sem rumo decidindo assim aproveitar a licença sabática. O ponto em que estas duas histórias se cruzam está destinado a surpreender o leitor.

A escrita de Pedro Medina Ribeiro é agradável e fluída. Alternando sempre entre as duas correntes temporárias, consegue prender o leitor e ir plantando a semente da curiosidade e da expectativa. Com bastante mistério e elementos surpreendentes, provoca momentos de suspense e temor. Para compensar, temos outros de autêntico bom humor e que desanuviam um pouco a tensão criada.

Com personagens muito características e bem desenvolvidas, este livro marca o regresso deste escritor português que, na minha humilde opinião, ainda tem muito para dar ao nosso mundo literário. Deixo apenas uma nota para a revisão que podia ter sido mais cuidada. Existem, uma ou duas vezes, repetições de frases/parágrafos inteiros. Brevemente poderão contar com mais uma entrevista ao autor em que exploraremos melhor este seu novo mundo. Gostei.

Primeira Entrevista ao Autor: https://branmorrighan.com/2010/04/pedro-medina-ribeiro-escritor-portugues.html

Opinião A Noite e o Sobressalto: https://branmorrighan.com/2010/04/noite-e-o-sobressalto-de-pedro-medina.html

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide

    Categorias do Blog

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!