Escritos Aleatórios #14

“Posso não ser aquilo que tu pensas que eu sou, mas eu sei que posso ser mais por ti. Fazes-me sentir real como há muito não me sentia. Consigo voltar atrás na memória, umas semanas apenas, para recordar a forma automática como todos os dias, ao fim da tarde, me tinha que dirigir ao meu bosque, sentar-me naquele banco feito de um tronco caído, e descarregar todas as emoções acumuladas. Não podia ser irresponsável ao ponto de descurar no trabalho, de deixar as pessoas que dependiam de mim desiludidas. Ninguém tem culpa das opções que tomei na minha vida e assumo total responsabilidade pelas mesmas, o que não quer dizer que custe menos. Desde então que tento crescer como pessoa, aprender com o meu passado e fazer com que isso sirva para o meu futuro ser melhor. 

Contigo, eu sinto que não preciso de me fechar em mim mesma, nesta caverna que criei para me recolher quando o desespero se instala. Neste momento, eu quero ser novamente. E quero-o tanto, independentemente de tudo, que só desejo que possas e consigas ser paciente o suficiente para me resgatares deste lugar escuro em que me encontro. Quero sair dele de cabeça erguida, de mão dada contigo, a respirar o teu odor inebriante e que tanta esperança me dá a cada abraço teu. Quero-te a partilhar comigo as tuas tristezas e alegrias, quero-te na minha cama em cada noite. Estou farta de fingir que está tudo bem, estou farta de fingir que consigo suportar tudo isto sozinha. Por ti, estou disposta a encontrar-me novamente, a dar-me novamente, a acreditar novamente, assim aches que vale a pena esperar por mim. Ajuda-me a levantar e não me deixes cair.”

Morrighan – 3/09/2013 20h42

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
5 Comentários
Mais antigo
Mais recente Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
António Silva
António Silva
7 anos atrás

Excelente o tipo de escrita na 1.ª pessoa. Mas ao ler não deixo de me interrogar se são excertos de um romance, uma confissão/recado para alguém, ou meros devaneios narrativos?…

Morrighan
Morrighan
7 anos atrás

Obrigada, Transcendente!

Um bocadinho de cada e nenhum ao mesmo tempo? Um pouco de tudo e ao mesmo tempo um extravasamento do nada que é esse tudo?

Ora, nem sei. Nas alturas em que escrevo para que entro numa qualquer dimensão e só quando saio dela é que dou conta do que escrevi.

António Silva
António Silva
7 anos atrás

"Nas alturas em que escrevo para que entro numa qualquer dimensão e só quando saio dela é que dou conta do que escrevi."
Conheço bem esse sentimento. Desdobrar numa personagem e em mim mesmo ao mesmo tempo. Mistérios do subconsciente… Ou magia…

Morrighan
Morrighan
7 anos atrás

Eu queria dizer parece :b em vez de para! Mas sim, é isso mesmo 🙂

António Silva
António Silva
7 anos atrás

Sim eu percebi. Mas não ligo muito a erros ortográficos resultantes de uma escrita rápida 😉

  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide

    Categorias do Blog

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!