[Playlist da Quinzena] 16 a 30 de Junho de 2015 – As Escolhas de João Pedro Fonseca

O João Pedro Fonseca (ou Jota, ou JP, sei lá, gosto dele de qualquer maneira) é uma das pessoas mais queridas e mais talentosas que eu conheço. Descobri-o por acaso numa página de Riding Pânico, mas mergulhar no seu trabalho artístico o fascínio foi tanto que armei-me em audaciosa e perguntei-lhe se não me queria ceder uma entrevista. Olhando para trás, parece que foi ontem, mas na verdade já passou mais de um ano. O resultado foi este. É claro que se a entrevista fosse recente, ainda havia muito mais. Não é à toa que tem um trabalho seu a ser exposto no Brasil, que continua a romper conceitos e preconceitos. Recentemente, e pelo qual sou-lhe grata por toda a eternidade, aceitou fazer parte da comemoração do 6º aniversário do blogue, desenvolvendo não só a imagem do aniversário como a capa da colectânea que surgiu das comemorações e que vai ser apresentada brevemente. O tema, digo eu, adequa-se-lhe bem – Desassossego da Liberdade – e melhor contributo não podia ter. E, para mim, o Jota é esta pessoa quase transcendente, de um coração enorme e com um talento ainda maior. Aceitou fazer esta playlist mal lhe dei a ideia, mesmo sabendo que ele anda sempre atolado de trabalho, e a própria Mixtape fala por si. Obrigada, querido Jota, por tudo o que me tens trazido e ao blogue! Tenho a certeza que ainda vais vingar muito, ao teu jeito, à tua maneira, com a tua personalidade. És o maior, tenho dito.

Esta mixtape é um preenchimento no tempo de outros tempos, 57:34 minutos precisamente, uma peça que não necessita de ocupar um espaço mas um certo período temporal. É um retrato à consequência, aos sentimentos anímicos gerados pelo ditame de uma realidade superior. Henri Michaux tivera dito: “Há doenças que, quando curadas, deixam o homem sem mais nada”, a consciência do espaço, desse nada, entre a matéria que nos rodeia torna-se numa presença, mais propriamente em espectros insípidos, alimentados pela teimosia de uma e única só vontade individual que não a deles. Em tempos, perto de uma praia, um ser vadio recitava poemas de Vian: “Quero uma vida em forma de areia nas minhas mãos.”, até naqueles dedos mais fortes a areia mais fina escorregou, a forma, ficou então na memória e a vida, imersa sob água.

Tracklist:

Rick Holland – I Remember (Late Night Tales: Jon Hopkins)

Ben Frost – “Leo Needs a New Pair of Shoes”

(wings of desire Monologue)

Shigeru Umebayashi – Yumeji’s Theme (Extended Version) 

György Ligeti + Lux Aeterna + Meredith Monk- “Last song” 

(Paris Texas monologue)

Mica Levi – Love

Nicolas Jaar – Être 1 + (Rust Cohle monologue)

Mr. Herbert Quain – Some Rain Will Fall

Gustavo Santaolalla – When Our Wings Are Cut + (Antonin Artaud’s monologue)

Perfume Genious – Mother

The Haxan Cloak – Consumed + Steve Reich – I’ts Gonna Rain

Tim Hecker – The Piano Drop

(Alice & Dan break-up)

Nils Frahm – Re + (The Dark Passenger Monologue)

Radiohead – Like Spinning Plates

(Mr. Manhattan Monologue)

Jungle – The Heat

(Wuthering Heights dialogue)

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!

    Categorias do Blog

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide