Zimun, banda brasileira, volta a Portugal com novo disco e concertos de apresentação

Os Zimun definem-se pela sua criatividade, capacidade de improviso e pelas construções sonoras arquitectadas no som que vem das ruas.

Jazz, rap, um pouco de rock, afrobeat e MPB juntam-se para criar um novo estilo que se funde no próprio grupo: o Street Jazz.

Em Julho do ano passado, os Zimun estiveram em Portugal a apresentar a sua música, num concerto com os Primitive Reason no Musicbox. Estive por lá, gostei e podem ver as fotografias tiradas na altura aqui. No final de Setembro deste ano, lançaram novo disco – Pra Frente – e preparam-se para uma digressão em várias salas em Portugal. Deixo-vos com as informações oficiais: 

Os Zimun são um quinteto oriundo de Belo Horizonte, Brasil, formado em 2009 e constituído por Fernando Castilho, Matéria Prima, Ravel Veiga, Gabriel Bruce e Edgar Dedig.

Visitaram Portugal em 2014 para uma primeira apresentação do seu trabalho e, desde então, a vontade de desenvolver uma relação mais longa e profunda com o berço da lusofonia é enorme.

O novo álbum dos Zimun, Pra Frente, foi lançado no dia 25 de setembro num exclusivo digital com distribuição da Lusitanian e pretende reforçar a vontade da banda em divulgar o seu estilo único junto dos portugueses.


Os Zimun estarão em Portugal em novembro de 2015 para uma residência artística de uma semana na qual pretendem desenvolver ligações com artistas portugueses e apresentar este novo trabalho ao vivo, pela primeira vez.

Além disso, contam anunciar em breve uma digressão por terras lusas que passa por diversas salas nacionais no início de 2016.

Intitulam-se de instrumentalistas e experimentalistas. À tríade guitarra, baixo e bateria soma-se um didgeridoo, congas, trompete e sintetizadores. Melodia, harmonia, ritmo, dinâmica e timbres. Nessa fusão sonora, os Zimun despertam várias sensações.

A missão de Zimun é propor Evolução e Transformação por meio da Música.

A banda avança numa nova direção, a do jazz, na qual se nota a influência nos arranjos e improvisos. No rap e na melodia, através dos MC’s, nota-se a busca pela sinceridade da poesia quotidiana das cidades.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!

    Categorias do Blog

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide