Em Setembro, pela Temas e Debates: A Invenção da Ciência, de David Wootton

A Invenção da Ciência

David Wootton

Género: Ciência/História 

Formato: 15 x 23,5 cm 

N.º de páginas: 840

PVP: € 29,90 

ISBN: 978-989-644-395-5

O maior acontecimento da história humana desde o Neolítico

David Wootton apresenta uma nova história da revolução científica. Polémico e desafiador, o novo livro de David Wootton, A Invenção da Ciência, é um poderoso desafio à ortodoxia histórica. Esta obra mostra como a ciência moderna foi o motor de desenvolvimento da revolução intelectual e cultural, fazendo-nos chegar à atualidade num mundo feito pela ciência. Para Wootton, independentemente da história nacional de cada país, uma coisa é certa: a modernidade começou com a revolução científica, na Europa, e foi a mais importante transformação na história humana, desde a época do Neolítico. Numa sociedade onde o conhecimento tinha cristalizado e onde se acreditava que não havia nada mais a conhecer, a descoberta da América veio mostrar que não só novos conhecimentos eram possíveis, como novos caminhos para os atingir. Esta nova cultura conduziu a um novo racionalismo, diminuindo drasticamente o interesse pelo oculto e as crenças no sobrenatural, conduzindo a sociedade, em última análise, a eventos como a revolução industrial. Em ensaios e textos notáveis, Wootton não se cansa de frisar a importância daquele que considera ser o momento chave de uma «revolução permanente». A Invenção da Ciência é a obra fundamental e de referência de David Wootton. Escrito num tom claro e acessível, vem oferecer uma nova interpretação e compreensão de como se deu esta enorme transformação, do que é a ciência, e de como podemos entender melhor o presente. Nas livrarias a 22 de setembro. 

LIVRO

Vivemos num mundo feito pela ciência. E como e quando é que isto aconteceu? Esta obra conta a história da extraordinária revolução intelectual e cultural que gerou a ciência moderna e é um desafio poderoso à ortodoxia que domina essa história. Antes de 1492 acreditava-se que todo o conhecimento relevante já se encontrava disponível, não havia um conceito de progresso e as pessoas procuravam compreender o passado e não o futuro. David Wootton argumenta que a descoberta da América demonstrou que era possível o novo conhecimento. Aliás, introduziu mesmo o conceito de «descoberta» e abriu o caminho à invenção da ciência. A nova cultura teve os seus mártires (Giordano Bruno e Galileu Galilei), os seus heróis (Johannes Kepler e Robert Boyle) e os seus artesãos pacientes (William Gilbert e Robert Hooke). Conduziu a um novo racionalismo, extinguindo a alquimia, a astrologia e a crença na feitiçaria. Levou à invenção da máquina a vapor e à primeira Revolução Industrial. A obra fundamental e de referência de David Wootton altera a nossa compreensão de como se deu esta grande transformação e do que é a ciência.

AUTOR

David Wootton é professor catedrático e Anniversary Professor de História da Universidade de York (Reino Unido). Entre as suas obras anteriores encontram-se Paolo Scarpi (1983), Bad Medicine (2006) e Galileo (2010). Foi orador nas Conferências Raleigh da Academia Britânica (2008), nas Conferências Carlyle de Oxford (2014) e nas Conferências Benedict em Boston (2014).

IMPRENSA

«Uma análise lúcida da revolução do pensamento humano que merece um lugar na estante ao lado de Thomas Kuhn e David Deutsch.» Kirkus Reviews

«Foi fascinante e tive dificuldade em pô-lo de lado, mesmo quando o meu corpo já me dizia que eu já me devia ter ido deitar há muito tempo […] Este livro conduziu-me a um mundo novo e estranho, que é, claro, exatamente o que um historiador deve fazer.» Alan Sokal

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide

    Categorias do Blog

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!