Sean Riley & The Slowriders celebram 10 anos de Farewell com reedição e tour nacional

Fotos: Joana Linda

Design CD, vinil e cartaz: Toni Fortuna

Parabéns, Farwell! Os Sean Riley & The Slowriders celebram em Outubro o décimo aniversário do seu primeiro álbum, Farewell. Para além da reedição especial do disco em CD e a sua estreia em Vinil a 20 de Outubro, a banda vai percorrer o país numa série de espectáculos onde vão revisitar Farewell na íntegra.

Em 2007, no press release de apresentação de Farewell, o disco de estreia de Sean Riley & The Slowriders, atrevi-me a compará-lo a discos fundamentais como “The Queen Is Dead” dos Smiths ou “The Velvet Undergound & Nico”, elevando-o de imediato à condição de clássico.

Não há como o filtro do tempo para avaliar uma obra de arte, e dez anos volvidos, ao ouvir de novo as onze canções de Farewell, não restam dúvidas que são hinos intemporais.

A banda bebeu da melhor herança folk-rock anglo-saxónica, de Bob Dylan a Nick Drake, de Tim Buckley a Townes Van Zandt, e surpreendeu-nos com um disco imaculado e genuíno, quer ao nível da composição, quer ao nível dos arranjos, feitos de simplicidade e sobriedade, revelando uma maturidade invulgar numa estreia discográfica.

Sean Riley (Afonso Rodrigues) é detentor de uma voz de múltiplas virtudes e notável projecção, simultaneamente versátil e encantadora, ouça-se uma ou cem vezes, e a sua guitarra destila meio século da história do pop/rock. Os Slowriders são só dois, mas multiplicam-se no disco, com Bruno Simões a alternar entre o baixo e a melódica, e Filipe Costa com o omnipresente orgão Hammond e assegurando as percussões, qual “one man band”.

Moving On, o single de apresentação de Farewell, é um clássico instantâneo. E quem resiste à melodia de piano em Lights Out? Ou às histórias cantadas de Harry Rivers, Marble Arch, Motorcycle Song, Let Them Good Times Roll e Spider’s Blues? São razões de sobra para afirmar Farewell como um disco coeso e inspirador, onde todos os instrumentos estão no lugar certo.

Para comemorar os 10 de anos de Farewell, a Valentim de Carvalho presenteia-nos com uma edição-estreia em vinil e uma reedição de Farewell em CD – esta com três temas-extra: Bring Your Boy Home e as gravações originais de Wout Straatman para Moving On e Lights Out. Em vinil, o álbum surge em duas versões: uma a preto e a outra a cor-de-laranja, com o poster da primeira digressão da banda.

Rui Ferreira (Lux Records)

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!

    Categorias do Blog

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide