[Playlist da Quinzena] 1 a 15 de Janeiro de 2018 – Vasco Silva (Whales)

Fotografia João Duarte – Sofar Sounds Coimbra

2018 começa com uma série de coisas boas e o 9º aniversário do blogue no Musicbox é uma delas. É já dia 5 de Janeiro e conta com os Whales, banda leiriense, a fechar a noite. O Vasco Silva é o baterista da banda e um dos jovens músicos que conheço que mais se entrega ao que faz. Conheço o Vasco, e o Roberto (também dos Whales), ainda faziam parte dos Backwater and the Screaming Fantasy (banda da qual a Débora Umbelino também fez parte, antes de ser Surma). Os Whales tornaram-se numa das grandes promessas da música portuguesa e em Março teremos o seu disco de estreia. Até lá, Quarta-feira (dia 3 de Janeiro) estreia o novo single/vídeo e Sexta-feira (dia 5) poderão vê-los no Musicbox Lisboa (a partir das 22h). Aproveitando a onda, fiquem com as suas escolhas musicais que nos farão companhia nos próximos quinze dias! 

Childish Gambino – Redbone

Esta foi uma canção que me ficou imediatamente no ouvido assim que a ouvi pela primeira vez. Transmite uma tremenda sensualidade.

Parcels – Overnight

Ritmo contagiante, riff de guitarra que dá logo vontade de dançar. Produzida pelos grandes Daft Punk. Não se nota nada *risos*

Porches – Car

Mais uma banda que conheci este ano, poderia escolher qualquer uma deste álbum “Pool”.

Joe Goddard – Music is the answer

Este senhor dos Hot Chip decidiu fazer umas músicas a solo. Acho que fez muito bem, a prova disso é esta música.

Ludovico Einaudi – Elements

Fui ver o Ludovico ao Campo Pequeno este ano. Posso dizer que me arrepiei do inicio ao fim. Tem músicos incríveis com ele, jogo de luzes fantástico e as pessoas souberam respeitar os momentos silenciosos e este senhor sabe fazer soar bem o silêncio.

Allan Rayman – Shelby Moves

Este ano fui ao Canadá com o meu amigo baleia Roberto. Aproveitámos e fomos ao festival Wayhome, que é realizado a uns poucos quilómetros do centro de Toronto. Eram umas 15h da tarde e no palco secundário estava a tocar o Allan Rayman e foi um momento muito agradável.

Glass Animals – Cane Shuga

Penso que esta foi a banda mais reproduzida no meu Spotify este ano. Adoro os elementos percussivos, os samples, os riffs de guitarra e teclados…

Adult Jazz – Hum

Esta banda conheci-a também este ano, por intermédio do Rui Gaspar dos FBAC. Ele reproduziu-a na carrinha da Omnichord, quando andávamos aí pela estrada. O que me despertou curiosidade nesta musica foi o ritmo de bateria que entra aproximadamente aos 3min e 50s, do qual não se está nada à espera.

Charles Bradley – The world (Is going up in flames)

Tinha que pôr uma música desta grande voz da Soul. Infelizmente faleceu este ano. Felizmente consegui vê-lo ao vivo, dois meses antes de falecer!!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide

    Categorias do Blog

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!