Opinião: Marés Negras de Filipe Faria

Marés Negras

Filipe Faria

Editora: Editorial Presença

Nº de Páginas: 560

Sinopse: Nova incursão na fervilhante Allaryia, neste terceiro volume das suas crónicas, contadas pelo fiel escriba, Pearnon. Reencontramos Aewyre e os seus companheiros na cidade de Val-Oryth em Tanarch, a um passo do seu destino último: Asmodeon. Aí, Aewyre espera poder por fim descortinar o destino de seu pai Aezrel, o desaparecido campeão de Allaryia. O jovem príncipe e os seus companheiros aprofundaram entretanto os laços de amizade que os unem, mas não sem duros sacrifícios, dos quais resultaram feridas profundas que dificilmente sararão. Velhos inimigos regressam para atormentar o grupo, e nas sombras da própria Val-Oryth residem perigosos adversários que os companheiros desconhecem e que os submeterão a rudes provações. Não muito longe de Tanarch, as Marés Negras sobem uma vez mais, trazendo consigo memórias de um passado sombrio e pressagiando tempos conturbados para Allaryia e todos os seus habitantes. O mistério adensa-se, a adrenalina sobe e Filipe Faria conquista cada vez mais adeptos entusiastas.

Opinião: Ler este livro, demorou um pouco mais de tempo do que é habitual em mim. Dada a minha nova “tática” de ter um livro para ler em casa e outro nas viagens (devido à diferença de peso), como só tinha tempo para ler à noite, pouco ia conseguindo adiantar. Admito que para isso, também contribuiu o conteúdo mais descritivo da primeira metade do livro. Mas, logo na entrada da segunda metade, o ritmo subiu exponencialmente. Li a segunda metade do livro neste fim-de-semana que passou.

Penso que a única coisa menos positiva neste livro, foram as extensas descrições na primeira metade do livro, onde a acção decorre em Tanarch. Desde o modo como funcionam as leis ao marabolismo de andar a tentar descobrir quem os atacou no final do volume anterior, achei que houve partes demasiado extensas. A acção foi-se desenrolando lentamente o que, a ler só à noite, de certa forma me ajudava a ganhar ainda mais sono!!! Nada me fazia prever a reviravolta que tudo ia dar a meio do livro. Não quero adiantar muito para não spoilar, mas tendo o livro tanta acção, é quase impossível não cair na tentação de partilhar convosco.

É em Marés Negras que ficamos a conhecer melhor o povo Siruliano. Este povo, em que os homens apenas usam as mulheres para procriar, deixaram-me bastante intrigada até quase 3/4 do livro. Tentando proteger as suas mulheres do Flagelo, decidiram separar-se delas, deixando-las em Tanarch, enquanto eles vão combatendo a Sombra. Assim, de quando em quando, vão a Tanarch par procriar. Não que não gostem das suas mulheres, apenas na visão deles acham que assim é melhor.

E é uma visão muito curiosa, devo dizer. Gostei bastante de todo o seu envolvimento ao longo do livro com as restantes personagens e não me desiludiram, apesar desta visão tão singular.

Finalmente os nossos heróis estão em Asmodeon e a batalha contra uma prol da Sombra começa. Tenho que elogiar o Filipe Faria nisto, a sua imaginação, a sua inteligência e o seu génio para descrever esta batalha. Ansiei pela sua chegada e, mesmo não gostando de descrições demasiado longas, segui a batalha linha por linha, palavra por palavra.

Este livro conseguiu tirar-me deste mundo para aquele, conseguindo imaginar cada estocada, cada movimento e quase cada ferida!

Não achei tão efusivo como o anterior mas no entanto conseguiu arrastar-me para os seus campos.

É também neste volume das Crónicas de Allaryia que finalmente descobrimos o que aconteceu ao pai de Aewyre e o porquê de Anchalach atrair os filhos do flagelo.

Achei fascinante Aemer-Anoth. A minha opinião sobre os sirulianos foi um pouco inconstante, mas de certa forma percebi as suas opções de vida.

Fiquei fascinada com os eahlan e com as suas personalidades.

Outra coisa que me marcou neste livro foi o aumento de aproximação que senti das personagens. Principalmente Worick. Filipe Faria construiu aqui uma personagem em pêras que não pára de me surpreender.

Acho que este livro está genialmente bem escrito. Ok, não é uma obra prima, mas tenho que elogiar a escrita deste autor. É fluída, natural, correcta e não consigo apontar um único defeito a nível de ortografia ou de mau português.

E por favor, acreditem, isto é muito importante. Num livro em que encontram erros a toda a hora, português mal utilizado, o livro torna-se um pesadelo.

Acho que é por isso que tenho gostado tanto dos livros do Filipe Faria. Ele consegue escrever de forma bastante complexa mas que, devido à sua ligeireza na escrita e correcção, acaba por se tornar uma leitura bastante agradável.

Claro que acho que às vezes abusa um pouco em certas descrições. Mas olhando para o conteúdo que faz mover a história, não podia ter opinião mais positiva.

Nota: 8.5/10

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
12 Comentários
Mais antigo
Mais recente Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mira
Mira
11 anos atrás

Este comentário foi removido pelo autor.

Anónimo
Anónimo
11 anos atrás

Olá Morrighan,

Aguardava a tua opinião ao livro e penso que de um modo geral o livro correspondeu às tuas expectativas.

Concordo com algumas criticas que fazes ao escritor (descritivo e acho que utiliza palavras um pouco caras) mas tambem me parece que imagianção não lhe falta.

No próximo volume vais conhecer mais umas personagens interesantes em especial uma que considero a melhor de todas e que vai ser CULPADA por uns determinados acontecimentos.

Parabens pela critica, gostei de ler e já agora uma pequena correcção à mira este livro não é o Vagas de Fogo (a mira é mesmo distraida LOL)

Fiacha

Morrighan
Morrighan
11 anos atrás

Olá Mira, obrigado pelos elogios. Ainda bem que o blog vai sendo útil!
Força, perde-te nos livros do Filipe Faria que valem a pena 😉 E sim, este livro é o Marés Negras!!

Olá Fiacha! Bons olhos te leiam! Eu gostei bastante deste livro, lá está, a primeira metade levou-me semanas a ler. A segunda metade, dois dias. Não são livros que consigamos digerir tudo de uma vez, mas acho que ele tem uma escrita muito criativa.
Agora vou fazer a pausa de um livro e só depois leio o 4º.

Obrigado por visitarem o meu cantinho.

Beijinhos **

Mira
Mira
11 anos atrás

olá morrighan.
gosto muito do teu blogue e das tuas opiniões.
ainda não me iniciei na fantasia, mas já tenho alguns livros do género para começar.
e acho que vou começar pelo filipe….. chegarão cá a casa brevemente os primeiros 5 livros da saga…. é perfeito para não perder o fio à meada. depois de ler a tua opinião ao marés negras ainda fiquei com mais vontade de começar.

continua com o excelente trabalho que tens feito no teu blogue.

😉

dsc, tinha-me enganado no título do livro 😛

Mariana Malhão
Mariana Malhão
11 anos atrás

Adorei o teu comentário.
Abriste-me o apetite para este autor.
Mais uma vez, parabéns pelo teu blog.
É recente, como dizes, mas já conquistou a minha visita diária.
Beijinhos!
Mariana

Lars Gonçalves
Lars Gonçalves
11 anos atrás

Então presumo que estes livros me estejam recomendados?
Mais uma fez fizeste uma excelente crítica. Continua assim, que vais muito bem.
Boas Leituras 😉

Morrighan
Morrighan
11 anos atrás

Olá novamente, Mariana! Muito Obrigado =)! Volta sempre que eu também ando sempre a espreitar o teu cantinho 😉

Lars, eu recomendo, pois claro! Pelo menos até agora =P
Gostei mesmo imenso de toda a segunda parte do livro. E depois como vai tendo os seus pedacitos de romance pelo meio, dá para desanuviar das batalhas. São livros muito porreiros. Bastante épicos. Lembro-me imensas vezes do Senhor dos Anéis quando imagino paisagens ou até mesmo algumas personagens. Mas estes livros são muito, muito próprios.
Que eu não te leve à falência =P
Já começaste a ler as Brumas?

Beijinhos**

Lars Gonçalves
Lars Gonçalves
11 anos atrás

Não, ainda estou a reler os livros da Robin Hobb.
Mas a seguir vou para Avalon!!

Morrighan
Morrighan
11 anos atrás

Olha que tu depois vai-me dizendo se gostas!!
Não me desiludas =)

Eu nas férias de Verão vou ter um mês só para esse tipo de livro. Quero ler As Brumas de Avalon, novamente; A trilogia de Sevenwaters, novamente; e a Saga das Pedras Brilhantes da Sandra Carvalho! Tenho ainda o Presságio de Fogo da MZB e As Crónicas de Bridei da Juliet Marillier!
Que belas férias =)

Lars Gonçalves
Lars Gonçalves
11 anos atrás

Vai ser um mês recheado de leituras.
E claro que tu vou dizendo se gosto das Brumas.
No final até sou capaz de fazer uma critica ao livro no meu blogue

Morrighan
Morrighan
11 anos atrás

Acho que fazes tu muito bem!!

Entretanto vais aturando as minhas pseudo-críticas aqui no blog 🙂

Sempre que queiras sugerir alguma coisa, está à vontade!! Gosto que o faças.

Vitor Frazão
Vitor Frazão
10 anos atrás

Neste livro o protagonismo vai para uma sequência de batalha em grande escala. Entre todas as obras da colecção é a minha favorita.

http://cronicasobscuras.blogspot.com/

  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!

    Categorias do Blog

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide