Opinião: “O Beijo da Noite” de Sherrilyn Kenyon

O Beijo da Noite (Predadores da Noite #5)

Sherrilyn Kenyon

Editora: Saída de Emergência

Chancela: Chá das Cinco

Nº de Páginas: 304

Sinopse: Predador da Noite… um guerreiro imortal que entregou a alma a Ártemis por uma oportunidade de vingança contra os seus inimigos. Em troca, jurou passar a eternidade a proteger a humanidade dos daemon e dos vampiros que se alimentam dela. O Predador da Noite Wulf é um antigo guerreiro viking com um poder útil mas muito irritante: amnésia. Ninguém que o conheça pessoalmente se lembra dele passados cinco minutos. Torna fáceis os engates de uma noite, mas difícil qualquer relacionamento mais sério e, sem encontrar o amor verdadeiro, não poderá recuperar a alma. Depois conheceu Cassandra, a única mulher capaz de se lembrar de si. No entanto, enquanto princesa da raça amaldiçoada que Wulf jurou caçar, ela está-lhe proibida… Mais uma obra fenomenal que coloca Sherrilyn Kenyon directamente no topo do melhor romance paranormal.

Opinião: Qualquer livro da série dos ‘Predadores da Noite’ que venha ter às minhas mãos é sempre sinónimo de uma leitura compulsiva, divertida e sensual. Sherrilyn Kenyon tem-se mostrado uma autora capaz de introduzir sempre novos elementos a cada volume aguçando sempre a curiosidade para o próximo.

Em ‘Beijo da Noite’ temos em destaque o predador da noite Wulf que, por causa de uma maldição, nenhuma pessoa consegue lembrar-se dele cinco minutos após ter estado na sua presença. Excepto aqueles que possam partilhar algum tipo de laço sanguíneo com ele ou os outros predadores da noite.

É então aqui que surge Cassandra. Ela consegue lembrar-se dele! Mas isto tem uma razão de ser, ela é a última descendente de Apolo e está condenada a morrer aos 27 anos por isso mesmo. O problema é que é sabido que quando o último descendente de Apolo morrer, todos os apollimi e daemons ficarão livre da maldição imposta pelo deus. Portanto, como devem adivinhar, a morte de Cassandra é o objectivo principal desses seres.

Este é um livro de grandes emoções. Apesar de ter um teor sexual bastante forte como em todas as restantes obras, apela bem mais ao sentimento e à compaixão pelas personagens. Wulf sofre porque não há ninguém que se lembre dele, Cassandra não se conforma com a sua condição e muito menos com a sua morte. E quando estas duas personagens se cruzam e se envolvem, os deuses brincam com eles pondo à prova tudo em que acreditam.

Foi uma leitura bastante agradável e emotiva, que de certa forma deixou a marca por ser de um estilo um pouco diferente dos outros até agora. Sherrilyn Kenyon é sem dúvida uma mestre na arte da escrita e na arte de prender os leitores página após página. Muito bom.

Opiniões dos restantes livros:

Amante de Sonho (#1)

Prazer da Noite (#2)

O Abraço da Noite (#3)

Dança com o Diabo (#4)

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!

    Categorias do Blog

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide