Conheçam Amor Electro! Uma banda portuguesa :)

Em toda a história da música portuguesa sempre ficou um enigma perante o facto, da Pop na realidade ser um estilo musical “anglo-saxónico” e neste caso chamar-lhe “Pop Portuguesa” poderia ser de certa forma, um pouco contraditório.

Ao mesmo tempo sente-se em Amor Electro algumas influências da sonoridade de algumas bandas internacionais como Massive Attack, Muse, Zero Seven ou Air. No entanto todas as canções são cantadas em português e por acaso por uma voz que tem todas as características daquilo que por cá se tem vindo a fazer de melhor, nos últimos anos.

Tiago Pais Dias, produtor do disco e o Multi-instrumentista da banda, vem de uma serie de projectos, como The Gift /Amália Hoje, Cindy Kat ou Ghost in the Machine. Ricardo Vasconcelos nasce num panorama mais “jazzístico” para se atravessar noutros géneros musicais como os Balla e Rui Rechena é o baixista dos “Homens da Luta” e da “Quadrilha”, tocou para a Rita Guerra, Tó Leal, entre outros.

Juntos estendem o “Tapete Vermelho” para aquela que segundo alguns “Opinion Makers”, é uma das mais prestigiadas e consideradas intérpretes da nova geração. Marisa Liz (Ex-Donna Maria), que já emprestou a sua voz em participações com grandes músicos e cantores como Simone de Oliveira, Paulo de Carvalho, Rui Veloso, Júlio Pereira, Rão Kyao, Vitorino, Paulinho Mosca (Brasil) Pedro Luís e a Parede (Brasil) entre outros.

No disco, podemos ouvir temas onde a guitarra portuguesa (Ricardo Parreira), o acordeão (Celina da Piedade), as percussões tradicionais (Tânia Lopes e Pedro Ferreira), se juntam ao bom gosto musical e “electrizante” das canções, algumas delas compostas pela própria banda, como por exemplo “A Máquina” (Tiago Pais Dias e Marisa Liz) ou outras por alguns compositores convidados como Yami em “Onde tu me quiseres” e Jorge Cruz (Diabo na Cruz) em “Amanhecer e “Rosa Sangue”, bem como algumas versões que renascem nas memórias de uma serie de gerações anteriores e que ao mesmo tempo são uma descoberta para o público mais jovem.

Algumas, fazem parte da história da Pop e do Rock Português como “Sete Mares” (Sétima Legião), “Bem-vindo ao passado” (GNR), “Capitão Romance” (Ornatos Violeta) e “Foram Cardos, Foram Prosas” (Miguel Esteves Cardoso e Ricardo Camacho), outras (também canções) surgem do panorama musical do Fado, como “Estrela da Tarde” (José Carlos Ary dos Santos e Fernando Tordo) ou “Barco Negro”, uma canção do musico brasileiro Caco Velho, com a adaptação de uma letra de David Mourão Ferreira.

Depois do verão se 1987, com o aparecimento do conceito da “World Music” e com a sua afirmação como um culto a nível mundial, alguns músicos vieram a cruzar a música Pop com algumas músicas tradicionais, neste caso representativas de algumas culturas, como foi o caso de “Gotan Project” e “Bajofondo” com o Tango “Ojos de Brujo” e “Macaco” com o Flamenco e até mesmo antes com os ingleses, Sting, Peter Gabriel e Paul Simon já se sentia uma abordagem neste sentido com África e Brasil.

Os Amor Electro, não foram nem mais longe, nem mais perto. Apenas escolheram uma serie de canções que fazem parte do panorama musical português, fizeram temas originais, onde se reflectem as suas influências, convidaram alguns instrumentistas representativos da nossa cultura e partiram para uma identidade própria que tem como base a “Musica Pop” mas neste caso sem contradições… Portuguesa!

Na página oficial do facebook: http://www.facebook.com/AmorElectroPT

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
4 Comentários
Mais antigo
Mais recente Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mira
Mira
9 anos atrás

Vi-os no Porto aquando da apresentação do cd. Simplesmente fantástico 😀
Bjocas e boa semana 😉

Morrighan
Morrighan
9 anos atrás

Quero ver se vou vê-los ao CCB! Beijinho*

AMOR ELECTRO - Clube de Fãs
AMOR ELECTRO - Clube de Fãs
9 anos atrás

São a melhor banda portuguesa da actualidade e com os melhores fãs de sempre!!!! :p

Morrighan
Morrighan
9 anos atrás

Bem que a banda podia-se disponibilizar para uma entrevistinha aqui para o blog 😀

  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide

    Categorias do Blog

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!