Aquisições de Junho 2012 (3)

OPINIÃOhttps://branmorrighan.com/2012/08/opiniao-o-tribunal-das-almas-de-donato.html

Estava à tua procura. Encontrei-te.

És a pessoa certa…

Agora, mata!

Marcus é um homem sem passado. A sua especialidade: analisar as cenas de crime para reconhecer o Mal nos pequenos detalhes e solucionar homicídios aparentemente perfeitos. Há um ano, foi gravemente ferido e perdeu a memória. Hoje, é o único que poderá salvar uma jovem desaparecida.

Este peculiar investigador enfrenta, porém, um desafio ainda maior: alguém está a usar o arquivo criminal da Igreja para revelar a verdade sobre crimes nunca oficialmente resolvidos. Assassinos são colocados perante os familiares das vítimas. Será, passado tanto tempo, saciado o desejo de vingança? Passarão os inocentes a culpados? Ou será, finalmente, feita justiça?

“Esta é a história de uma cruzada pelo maior de todos os segredos: a imortalidade.

A história começa na Londres do século XVII. Edmund Cordery, sábio da corte de Ricardo Coração de Leão, acredita que a cerimónia supostamente mágica que transforma um humano num vampiro deve ter uma explicação natural. Mas descortinar o segredo da criação dos imortais também é saber como os destruir, como tal, quando as suas investigações o aproximam da verdade, a elite que governa o mundo decide-se pela sua morte. Mas, antes de morrer, Edmund passa os seus segredos ao filho Noell, transformando este no homem mais procurado de Inglaterra e forçando-o a fugir pela vida.

Para continuar as investigações do pai, Noell viaja até ao coração de África, onde acredita que os primeiros vampiros nasceram há milhares de anos”.

Enquanto trabalha na restauração do Pórtico da Glória de Santiago de Compostela, Julia Álvarez recebe uma notícia devastadora: o marido foi sequestrado numa região montanhosa do Nordeste da Turquia. Sem o desejar, Julia vê-se envolvida numa intriga ambiciosa à escala mundial, para controlar duas pedras antigas, que aparentemente permitem o contacto com entidades sobrenaturais, desde uma misteriosa seita oriental até ao presidente dos Estados Unidos.

Javier Sierra mergulha-nos num mundo em que história, magia, tecnologias antigas e ciência de ponta se combinam num thriller evocativo, documentado e muito original. Uma obra que abandona todos os convencionalismos do género, reinventando-o e mergulhando o leitor numa aventura que não esquecerá.

OPINIÃO: https://branmorrighan.com/2012/08/opiniao-mentiras-desaparecidos-3-de.html

Sete meses passaram desde que todos os adultos desapareceram da ZRJ (abreviatura de Zona Reactiva Juvenil).

Tudo agora vai acontecer numa só noite.

Uma rapariga que tinha morrido circula agora entre os vivos. Zil e o Bando dos Humanos incendeiam Perdido Beach; entre o fumo e as chamas, Sam entrevê a silhueta da pessoa que mais teme: Drake.

Mas Drake morreu. Sam e Caine venceram-no, assim como à Sombra. Pelo menos assim pensavam.

Enquanto Perdido Beach arde, a batalha também está acesa: Astrid contra o conselho municipal; o Bando dos Humanos contra os mutantes; e Sam contra Drake, regressado do reino dos mortos e desejoso de acabar com aquilo que ele e Sam deixaram por concluir.

Entretanto, e à semelhança do próprio fogo, há boatos que alastram, espalhados pela Profetisa, Orsay, e pela sua companheira, Nerezza. Afirmam que a morte é um meio de fugir da ZRJ.

As condições são piores do que nunca, e os jovens estão desesperados por sair.

Mas estarão suficientemente desesperados para acreditarem que a morte os poderá libertar?

A história de “O Exílio do Último Liberal” decorre entre Londres (1832) e Lisboa (1833) e assenta num labirinto de mistérios, de segredos, de ameaças e de paixões, enquadrado pelo fog de Londres e pelas brumas de uma nação envolta em progresso e em miséria. É aí, um ambiente marcado pela Revolução Industrial, que se move um jovem exilado português às voltas com um terrível segredo: foi membro da Irmandade dos Divodignos, um grupo liberal radical que os partidários absolutistas de Dom Miguel perseguem com encarniçado ódio. Mas este é apenas o primeiro segredo dado a conhecer ao leitor… Outro há e é ainda mais obscuro e clandestino.

Por entre as sombras e os nevoeiros, movem-se vultos suspeitos. São os odiados ressurrecionistas à cata de corpos acabados de sepultar numa atividade que provoca medo e revolta.

Outras Aquisições de Junho

Aquisições (1): https://branmorrighan.com/2012/06/aquisicoes-de-junho-1.html

Aquisições (2): https://branmorrighan.com/2012/06/aquisicoes-de-junho-2.html

Aquisições (4): https://branmorrighan.com/2012/07/aquisicoes-de-junho-4.html

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide

    Categorias do Blog

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!