[DESTAQUE] Em Junho pela Quetzal: A Vida no Céu de José Eduardo Agualusa

A Vida no Céu

José Eduardo Agualusa

Género: Romance

N.º de páginas: 192

Data de lançamento: 7 de junho

PVP: 16,60 €

O primeiro romance de José Eduardo Agualusa na Quetzal.

Misto de história de aventuras e de alegoria ecológica, o novo romance de José Eduardo Agualusa é uma visitação à humanidade entre as nuvens – em pleno céu, onde uma nova vida pode ser possível.

LIVRO

«Depois que o mundo acabou fomos para o céu.» Assim começa este romance. Na sequência de um desastre de proporções bíblicas – o Dilúvio –, os ricos das grandes cidades constroem enormes dirigíveis e vão viver para o céu. Os pobres improvisam balões, que prendem uns aos outros, ligados a redes, formando imensas aldeias flutuantes. Carlos Tucano nasce numa destas aldeias. Carlos deixa a aldeia onde nasceu e parte à procura do pai, desaparecido numa tempestade. Ao longo desta peregrinação, vai-nos dando a ver a vida no céu, com os seus prodígios, os seus mistérios, e também os seus desacertos, ao mesmo tempo que estabelece ligações com toda uma galeria de personagens extraordinários – uma curandeira e sonhadora profissional sul-africana, um pirata indonésio arrependido, um navegador solitário cego, além de uma adolescente rebelde, Aimée, que conhece no mais belo dirigível do mundo – o Paris. Segundo o Dicionário dos Nefelibatas, incluído no livro, as nuvens (água em estado onírico) são o alfabeto do céu. Este romance ajuda-nos a decifrá-las.

AUTOR

José Eduardo Agualusa nasceu na cidade do Huambo, em Angola, a 13 de dezembro de 1960. Estudou Agronomia e Silvicultura em Lisboa. É jornalista. Viveu em Lisboa, Luanda, Rio de Janeiro e Berlim. É autor dos livros A Conjura (romance, 1988), Prémio Revelação Sonangol; A Feira dos Assombrados (contos, 1992); Estação das Chuvas (romance, 1996); Nação Crioula (romance, 1998), Grande Prémio de Literatura RTP; Fronteiras Perdidas (contos, 1999), Grande Prémio de Conto da APE; A Substância do Amor e Outras Crónicas (crónica, 2000); Estranhões e Bizarrocos, com Henrique Cayatte, (infantil, 2000), Prémio Nacional de Ilustração e Grande Prémio de Literatura para Crianças da Fundação Calouste Gulbenkian; Um Estranho em Goa (romance, 2000); O Ano Que Zumbi Tomou o Rio (romance, 2002); O Homem Que Parecia Um Domingo (contos, 2002); Catálogo de Sombras (contos, 2003; O Vendedor de Passados (romance, 2004),The Independent Foreign Fiction Prize; Manual Prático de Levitação (contos, 2005); A Girafa que Comia Estrelas (novela, 2005); Passageiros em Trânsito (contos, 2006); O Filho do Vento (novela, 2006); As Mulheres do Meu Pai (romance, 2007); Na Rota das Especiarias (guia, 2008); Barroco Tropical (romance, 2009); Teoria Geral do Esquecimento (romance, 2012).

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide

    Categorias do Blog

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!