[Divulgação Elsinore] O Que não É Teu não É Teu, de Helen Oyeyemi

O Que não É Teu não É Teu

Helen Oyeyemi

COLEÇÃO Ficção Traduzida

ISBN 9789898849830

PÁGINAS 288

Mas, sempre que entro naquela maldita casa, corro o risco de sair de lá doido. Por causa das portas. Nem sequer se mantêm fechadas, se não estiverem trancadas à chave. E, depois de as fecharmos, ouvimos sons vindos detrás delas; sons que convencem uma pessoa de que deixou alguém encarcerado lá dentro. Mas, quando não fechamos as portas à chave, elas ficam meio abertas, permitindo-nos olhar para a divisão seguinte, dando-nos a ideia de que está alguém a segurá-las de propósito.

LIVRO

A chave para uma casa, a chave para um coração, a chave para um segredo – chaves, literais e metafóricas, que não se limitam a abrir momentos das vidas das suas personagens; estas chaves prometem-nos também os difíceis labirintos que se estendem para lá disso.

Os contos de Helen Oyeyemi, lembrando contos de fadas, lições de História, mitos e lendas, vivem numa multiplicidade de tempos e paisagens, fazendo com que as fronteiras de realidades coexistentes se toquem, transformando ladras em heroínas, homens moribundos em pais, e criando bibliotecas de rosas e jardins de livros.

Em O Que não É Teu não É Teu, todas as chaves são portas, oferendas e um convite à descoberta de um universo onde a beleza poderá, talvez, existir.

AUTORA

Helen Oyeyemi é uma das grandes revelações da literatura africana e inglesa dos últimos anos. Nascida em Ibadan, na Nigéria, em 1984, cresceu no sul de Londres, para onde os seus pais se mudaram. Como a também nigeriana Chimamanda Ngozi Adichie, sempre viveu entre dois mundos, o das suas raízes e o da sua formação académica e literária. Os livros que escreve, as histórias que inventa, os universos que convoca espelham essa pluralidade.

O talento literário de Oyeyemi deu-se a conhecer cedo. O primeiro romance, The Icarus Girl, foi escrito quando ainda frequentava o ensino secundário. Publicou-o em 2005, aos 21 anos, dando início a um percurso fulgurante. Assinou duas peças (Juniper’s Whitening e Victimese) que, levadas à cena pelo grupo de teatro do Corpus Christi College de Oxford, onde cursou Ciências Sociais e Políticas, rapidamente chamaram à atenção da crítica especializada.

A The Icarus Girl, já traduzido em 16 idiomas, seguiram-se os romances The Opposite House (2007), White Is for Witching (2009), Mr Fox (2011) e Boy, Snow, Bird (2011). Distinguida, em 2010, com o Prémio Somerset Maugham e, no ano seguinte, com o The Hurston/Wright Legacy, foi considerada, em 2013, pela revista Granta, uma das melhores jovens escritoras inglesas.

IMPRENSA

«O mundo ficcional de Oyeyemi é cintilante e excêntrico, uma “implosão de memória”, como diz uma das suas personagens.» 

The New Yorker

«Transcendente. Oyeyemi criou um universo que deslumbra e fere.» 

The New York Times Book Review

«Perfeito… Mais uma obra-prima de uma autora que parece ser incapaz de escrever algo que não seja brilhante.» 

NPR

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide

    Categorias do Blog

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!