Opinião: O Sol Também É Uma Estrela, de Nicola Yoon

O Sol Também É Uma Estrela
Nicola Yoon

Editora: Editorial Presença

OPINIÃO: O Sol Também É Uma Estrela é um daqueles livros que eu gostava de ter lido em adolescente. Porquê? Porque sei que tem todo o potencial para derreter corações apaixonados que ainda têm inocência e carisma suficiente para acreditarem no amor à primeira vista ou para se deixarem apaixonar de coração aberto rapidamente. Em Tudo, Tudo… E Nós, Nicola Yoon já tinha demonstrado mestria em envolver o leitor com os seus protagonistas, em abordar cenários delicados e transportar-nos para realidade com as quais talvez não sejamos confrontados com muita frequência.

Neste romance, para além de uma história que cruza as vidas dos encantadores Natasha e Daniel, a autora consegue abordar duas diferentes perspectivas sobre as consequências de emigração para os Estados Unidos. Natasha nasceu na Jamaica e toda a sua família está ilegalmente nos Estados Unidos, mesmo o seu irmão tendo já nascido no país. Daniel é asiático, os seus pais são coreanos e tiveram de lutar muito por uma vida digna. Estes pequenos grandes pormenores são pontos-chave em momentos desta obra de Nicola Yoon, que volta a ter o potencial de impressionar e conquistar leitores.

Um dos maiores contrastes que nos faz sentir, logo à partida, uma enorme empatia com Daniel e Natasha, é a forma tão diferente como encaram as suas vidas. São dois extremos que provavelmente encontram um equilíbrio no leitor. Ou seja, se por um lado Natasha tem uma mente super prática, pouco romântica e sempre objectiva, Daniel é um romântico incurável e tem alguma crença no destino para o qual acha estar destinado. Natasha vem abalar isso.

E o que eu achei curioso é que não serão poucas as pessoas que já foram um bocadinho como cada um deles. Foi também por isso que ao início disse que gostava de ter lido este livro há uns anos atrás, antes de a vida abanar com a inocência e a crença que tudo é possível se nos esforçarmos o suficiente, que tanto nos caracteriza enquanto somos jovens. 

Nicola Yoon tem uma escrita que já é uma impressão digital. A alternância entre os protagonistas na primeira pessoa, o aspecto sonhador e ao mesmo tempo duro. Esperanças recheadas de algum sofrimento e expectativas que até ao fim não sabemos bem como vão acabar. A forma como construiu a ponte entre Natasha e Daniel e depois alimentou o romance entre os dois está perfeitamente equilibrada com a envolvente familiar que terá implicações directas na sua relação. Ou seja, este romance é sobre este casal, mas é muito mais do que isso. O enredo é forte e bem contextualizado e caracterizado. Uma boa leitura.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!

    Categorias do Blog

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide