[Diário de Bordo] O Primeiro Dia da Feira do Livro de Lisboa 2018

Fotografia Jorge Oliveira

Há dias mais estranhos que outros e ontem foi, certamente, um dia recheado de altos e baixos emocionais. Não só ando completamente sobrecarregada de trabalho, como tinha em agenda entrevistar os D’Alva e estar presente no Tributo ao Luís Miguel Rocha, no espaço Porto Editora, na Feira do Livro de Lisboa. O trabalho não rendeu muito, mas felizmente a entrevista aos D’Alva rendeu mais de meia hora de boa conversa, risos e sorrisos, terminando com aquele abraço sempre bom, de quem se quer bem. O percurso dos D’Alva tem sido incrível, mas mais incrível ainda é humildade e o carácter que trazem consigo. Terminada a entrevista dirigi-me para o espaço Porto Editora. Foi ali, precisamente na Feira do Livro de há muitos anos atrás, que conheci o Luís Miguel Rocha. E agora ali me vi novamente, mas para um tributo, três anos após o seu falecimento. O Luís, mais do que um dos autores mais extraordinários do nosso país, era um grande amigo. Uma pessoa sempre de sorriso pronto, sempre disponível, sempre receptivo. O Luís era daquelas pessoas fáceis de falar e tratar, humilde e carinhoso com os seus leitores. Foi precisamente isso que a Porto Editora destacou e conseguiu transportar-nos no tempo mostrando algumas fotografias do Luís com os seus leitores. Em Viana do Castelo foi criado também um prémio literário em nome do Luís Miguel Rocha e as candidaturas encontram-se neste momento abertas. 

Acabei por sair da Feira do Livro já ao anoitecer e sem nenhum livrinho novo comigo. Entre sorrisos e lágrimas, enquanto caminhava para o meu carro (uma caminhada de vinte minutos) fui reflectindo sobre uma série de coisas. Não só sobre algumas partes da entrevista com os D’Alva, que foram pertinentes, mas também sobre a efemeridade da vida e como tudo de alguma forma se liga e se entrelaça. O resto do fim-de-semana vai ser dedicado à correcção de projectos dos meus alunos, portanto ainda está pendente a minha ida à Feira do Livro tanto hoje como amanhã. Mas é sempre bom voltar à FLL. Tantas memórias, tanta gente boa que conheci por ali. Os livros têm esta capacidade magnífica de unir as pessoas e a FLL é um excelente local para encontrarmos aqueles que, como nós, encontram alguma paz, ou até um necessário desassossego, nas páginas de um livro.

As fotografias foram são todas do Jorge Oliveira, a quem agradeço, de coração, a paciência e o olhar perspicaz. A entrevista aos D’Alva será brevemente publicada tanto no blogue como na SAPOMAG. Até já!

Fotografias Jorge Oliveira

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide

    Categorias do Blog

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!