Entrevista a Filipe Faria, Escritor Português – 10 Após o início das ‘Crónicas de Allaryia’

Boa tarde! Terminada a minha leituras das ‘Crónicas de Allaryia’ de Filipe Faria, contactei o autor para uma nova entrevista em que este faz um balanço dos últimos 10 anos e nos desvenda um pouco do que é que os seus leitores podem esperar num futuro próximo.

Filipe, faz dois anos desde a nossa primeira entrevista, dez desde que escreveste o teu primeiro livro ‘A Manopla de Karasthan’. Entretanto já lançaste o último livro das Crónicas de Allaryia – ‘Oblívio’. Que balanço fazes destes últimos dez anos de escrita?
Positivo. Muito positivo. Contei a história que queria contar, consegui não ficar com cabelos brancos ao fazê-lo e descobri dessa forma o caminho que queria seguir na minha vida. Não será um caminho fácil, mas hoje sinto-me mais pronto do que nunca a percorrê-lo.

Há algum livro que seja, de certa forma, especial?
Terei de dar a resposta politicamente correcta: são todos. Cada um é especial à sua maneira, independentemente dos seus defeitos ou qualidades.

Qual é que te custou mais a escrever?
Seria de esperar que tivesse sido o último, mas à parte da última frase, a verdade é que o Oblívio me saiu de forma bastante fluida. Provavelmente terá sido o quarto, pois a sua concepção deu-se durante o meu primeiro (e felizmente único) bloqueio criativo.

Quanto à tua escrita, que transformações achas que ela sofreu ao longo deste tempo?
Ficou mais aprimorada e menos anglicizada, embora permaneçam alguns tiques. O importante é que posso afirmar com segurança que ela foi evoluindo.

Que feedback é que tens tido sobre a saga?
Muitas felicitações por ter conseguido levar a cabo a publicação de uma saga sete volumes, sobretudo. Também a confirmação de que no final ficou praticamente tudo explicado e/ou justificado, o que para mim foi um grande alívio. E, para grande satisfação minha, a nostalgia de leitores que cresceram a ler as Crónicas de Allaryia.

E sobre o ‘Oblívio’? O que é que os teus leitores mais têm comentado sobre este final tão esperado?
O final inesperado, em grande parte. Muitos ficaram agradavelmente surpreendidos, muitos ficaram com dúvidas, e estaria a mentir se dissesse que não houve algumas queixas de quem se sentiu de certa forma defraudado por a saga terminar sem ter verdadeiramente terminado. Mas foi assim que eu sempre imaginei o «final» das Crónicas – final esse que, como os leitores podem ter percebido com as duas últimas palavras do livro, não o é bem. O que aconteceu após sete volumes foi, sim, o fim de um ciclo, e o início de outro. Se repararem bem, a história acabou «bem» para as personagens, só não acabou é bem para o mundo de Allaryia, pois fica subentendido que algo de drástico e sem precedentes está para suceder. Dessa forma, a porta fica aberta para o meu regresso a Allaryia (sim, porque o meu regresso àquele que sempre será o meu mundo é inevitável) e as férias que eu vou tirar de Allaryia serão de certa forma paralelas aos anos que se irão passar após o final da saga. Quando regressar, nada será como dantes.



Também já anunciaste que na próxima feira do livro de Lisboa queres lançar a tua próxima obra. Podes falar-nos um pouco sobre ela?
Ainda não. Já estou a ficar impaciente e quero adiantar mais detalhes, mas quero mais ainda ver-me livre do meu estigma de dar prazos errados e mentir acerca de lançamentos futuros.

Que surpresas nos esperam num futuro próximo?
Além do lançamento de uma nova série na vindoura Feira do Livro, haverá também em breve uma surpresa para os leitores de Allaryia, uma vez que A Manopla de Karasthan fará 10 anos em 2012.

O que achas do blog Morrighan?
Não sou grande fã de redes sociais e derivados, mas acho notável o trabalho que tens desenvolvido no teu blogue, que não só conseguiu a atenção das editoras, como também desempenha hoje um papel importante na divulgação de muitas obras. Os meus parabéns e também um obrigado especial.

Obrigada Filipe pela tua disponibilidade e pelas simpáticas palavras.


Mais Sobre o Autor aqui no blog

Primeira Entrevista: https://branmorrighan.com/2010/03/filipe-faria-escritor-portugues.html

Opiniões dos outros livros:

A Manopla de Karasthan

Os Filhos do Flagelo

Marés Negras

A Essência da Lâmina

Vagas de Fogo

O Fado da Sombra

Oblívio

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Subscrever
Notificar-me de
guest
1 Comentário
Mais antigo
Mais recente Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carla M. Soares
Carla M. Soares
9 anos atrás

Hummm. Deixei esta série ao terceiro livro, mas saber que terminou dá-me vontade de pegar-lhe de novo. Agora, que gostava de ver aquela gente toda que deixei a meter-se em valentes sarilhos (se bem me lembro ia um para cada lado) ter um fim simpático, lá isso gostava… e sugere-se que afinal acaba, mas não acaba? É como digo, hummm…

  • Sobre

    Olá a todos, sejam muito bem-vindos! O meu nome é Sofia Teixeira e sou a autora do BranMorrighan, o meu blogue pessoal criado a 13 de Dezembro de 2008.

    O nome tem origens no fantástico e na mitologia celta. Bran, o abençoado, e Morrighan, a deusa da guerra, têm sido os símbolos desta aventura com mais de uma década, ambos representados por um corvo.

    Subscritores do blog

    Recebe notificação dos novos conteúdos e partilhas exclusivas. Faz parte da nossa Comunidade!

    Categorias do Blog

    Leituras da Sofia

    Apneia
    tagged: currently-reading
    A Curse of Roses
    tagged: currently-reading

    goodreads.com

    2021 Reading Challenge

    2021 Reading Challenge
    Sofia has read 0 books toward her goal of 40 books.
    hide